ÁGUA

ÁGUA

imagotaA água se move num ciclo quase eterno
Evaporando, transpirando
Precipitando, escoando, transformando
Alimentando as vidas, diluindo
Vai

Sem preconceito, cruza as nações, povos
E nos rincões mais distantes
Sem perguntar, quem és, de onde vens
Qual a cor da tua pele, a religião que tens
Vai

Fazendo a terra, não se sentir inferior ao cosmo,
E nem a vida inferior à morte
Servindo de exemplo hermenêutico
Na interpretação do sentido da existência
Vai

Fluindo na figura de retórica,
Infiltrando-se na metáfora, sinédoque, metonímia,
Prosopopéia, ironia, hipérbole, alegorias
E antes de chegar ao mar, ainda questiona,
Onde estão as fábulas, enigmas, tipos,
Símbolos, parábolas, símiles

Onde estão os homens?
Que perguntam onde está água

– Estou no líquido na minha forma aparente,
Estou no sólido na minha forma travestida,
Estou no vapor na minha expressão de liberdade,
Estou nos lagos, no logos, na poesia

Estou, nos lábios, nas mentes
Daqueles que mostram grandiosidades,
Dos pequenos feitos e gestos, a exemplo de Tereza de Calcutá:
“Por vezes sentimos que aquilo que fazem
Não é senão uma gota dágua no mar,
Mas o mar seria menor se lhe faltasse uma gota”.

Estou, no inconsciente coletivo
No adágio popular, que reitera sabiamente:
Só percebemos o valor da água, depois que a fonte seca”.
Mas, não sou só H2o

Sou a fonte inexaurível, além da fonte de Jacó,
De quem Cristo fez menção, à mulher samaritana:
Se beberes desta água, voltarás a ter sede,
Mas se beberes da água que eu te der,
Numa mais sede terás

-Vai
Preserve a água das fontes, dos rios, do mar
A água que sobe, que desce, que para, que corre
Que é símbolo, harmonia, sabedoria
Que é vida, manancial que aponta
Os segredos da vida nas dimensões…
Mesmo que sejam em pequenas gotas

F. Meirinho
https://fmeirinho.wordpress.com/

Anúncios

PALMAS & PALMADAS

PALMAS & PALMADAS

ImajoelPalmas para aqueles que morreram e que nos deixaram uma herança positiva que é a alavanca para um futuro brilhante. Palmadas para os que vivem e não sabem aplicar a herança recebida, e que compromete o nosso futuro. Esses são todos os que não sabem diferenciar entre o preço e o valor.

Vivemos em uma época onde sabemos o preço de tudo e o valor de nada.

Pagamos muito por nada e não queremos pagar nada por muito. Temos então a inversão de valores, razão pela qual vivemos em um mundo em que não se sabe diferenciar entre o certo e o errado, o que é essencial e o que é superficial, entre o que é saudável e o que é prazeroso.

Procura-se sempre o bom, mesmo sendo ruim. Que  “ruim”!, mas que seja bom.

Temos uma capacidade para facilitar, mesmo que comprometa o final do produto.

Somos especialistas em construir castelos de areia, sem se preocupar com as bases. Somo inovadores não para melhor, mas, infelizmente, para o pior.

O Brasil vive uma crise de inovação tecnológica, razão pela qual surge promessa de investimento nesta área, por parte do governo federal. No entanto, devemos repensar que, não é somente de tecnologia que se vive. Nossa educação precisa de um choque de inovação, nosso professores precisam ser mais bem preparados e melhor remunerados. Nossos políticos precisam ser pessoas visionárias, com capacidade não somente para ver o presente e o futuro, mas de prever tendências e de antecipar mudanças. Nossa justiça precisa ser repensada, para que não cheguemos ao estremo – de culpar o inocente e absolver o culpado.

Afrouxamos as rédeas para os que nada produzem e somos duros com os que trabalham dignamente.

Criamos leis hipócritas para tentar educar, corrigir e punir um povo, que muito pouco sabe valorizar a educação, os princípios éticos e morais, e o respeito ao próximo.

Penso que saberemos diferenciar entre preço e valor não mexendo em nosso bolso, com leis injustas e impostos exorbitantes, nem com inovação tecnológico, quando deixarmos de ser anestesiados com essa política alienadora que agrega ao supérfluo, um valor exorbitante e jogando pelo ralo aquilo que é essencial.

Se não pensarmos assim, gastaremos a herança positiva deixada pelos nossos antepassados, e teremos que recomeçar do zero…

Texto de – Joel Meirinho

FELICIANO, MALAFAIA, PT E CONFLITOS

FELICIANO, MALAFAIA, PT, HOMOFOBIA E CONFLITOS

IMG_0025Como já escrevi, há certos comportamentos do deputado e pastor Marcos Feliciano que reprovo, a exemplo de outros pastores e ministério. Mas que a imprensa aliada à movimentos libertários e políticos radicais da esquerda retrógada, que fala em democracia como retórica, mas no fundo são filhotes da ditadura tirana. Esses tem pavor da democracia verdadeira, discriminam, apoaim os seus heróis corruptos, e ameaçam implacavelmente de forma intolerante, ignorante e sem escrúpulo, como estão se posicionado contra Feliciano pelo fato de dar uma interpretação bíblica sobre a suposta maldição sobre alguém, que tenha habitado o continente africano, e pelo fato de expor sua opinião a favor da família tradiconal. Isso, considerando que foi um aliado do PT, e que declaradamente votou na Dilma para presidente. Entendo que, nem todos do PT expressam esse tipo de comportamento e pactuam com certo tipo de libertinagem, mas fica a minha opinião, contrária a de Silas Malafaia, que diz não votar em partido, mas em pessoas. O Brasil continua com um pensamento do personalismo, e esquece que, o candidato está a serviço da ideologia partidária. Minha gente, vamos buscar melhor consciência política! Antes de escolher o seu candidato, procure saber o partido que ele está filiado, e saber se o tal partido não contraria princípios que você defente. Tenho dito. Pense!

FELICIANO E HOMOFOBIA

Eu não sou nenhum admirador de Marcos Feliciano, e até reprovo a sua maneira sátira de se dirigir, ou convencer pessoas a ofertarem, como também reprovo a atitude de algumas igrejas e líderes que são coniventes com as formas aliciadoras e perversas de lidar com a fé do povo. (Recomendo a Feliciano e religiões que revejam essa postura ridícula de buscar a oferta do povo. Do ponto de vista cristão, deve ser consciente, voluntária e proporcional) Mas, convenhamos, para alguns segmentos da imprensa brasileira, comprometida com a promiscuidade e banalidade da moral, qualquer pessoa que pensar diferente, já é estigmatizada com homofóbico. Quando alguém acusa um terceiro de homofóbico, sem conhecimento de causa, e sem prova, já discriminou, e até pode se tornar o verdadeiro homofóbico, que no seu contexto psíquico é qualificado como doença, normalmente uma reação contra os outros por reprimir sua tendência à homossexualidade. Considerando que – Fóbico – virou moda, lei e uma maneira de xingar os outros – heterofóbico, evangelicofóbico, catolicofóbico, será que está surgindo outras tribos: Os Midiafóbicos, os petefóbicos, com projeto maluco de transformar todos uma coisa só – os antropofóbicos. Aí se todos formos de alguma maneira fóbico ninguém o será. Dá medo! Tudo bem, mas se persistir é fobia, que nada tem a ver com homo. Isso é outra coisa…

(F. Meirinho)

Veja artigo na veja do colunista Azevedo: Negro e racista? Desta vez, a patrulha quebrou a cara. Não foi por falta de aviso, né?veja.abril.com.brVejam esta foto. Acima, vocês veem o pastor Marco Feliciano abraçado ao padrasto, que é negro, e à mãe — que eu chamo de “mestiça”, mas que os