CONCORDO COM SILAS MALAFAIA

IMG_0025Normalmente, não consigo concordar com tudo, o tempo todo com as mesmas pessoas e instituições. Mas isso não representa que eu esteja certo, apenas vejo que a sociedade está sempre em transformação, e é preciso que haja discussão, oposição para que o que deve ter equilíbrio, do ponto de vista da ética e da moral seja resguardado. Mas, a respeito do que ocorre nos bastidores da política que tenta execrar Marcos Feliciano, apesar de achar que seu comportamento, e suas ideias nem sempre são compatíveis com o cerne do Evangelho de Cristo e nem com a realidade política e social, mas concordo plenamente com Silas Malafaia, que salienta as possíveis causas da pressão antidemocrática para que Marcos Feliciano renuncie ao cargo.

Ele faz lembrar: “Toda essa mobilização contra Feliciano tinha um motivo maior: Desviar os holofotes do PT. Afinal, enquanto se discutia a posse de Feliciano na CDHM, dois deputados condenados pelo Supremo tribunal Federal no julgamento do mensalão, João Paulo Cunha (PT – SP – e José GEnúino, tornaram-se membros da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania, a mais importante comissão da Câmara”.

Lamento ainda, como tantas igrejas e pessoas que já foram mais sérias, se rendem aos shows de Feliciano, e ainda pagam bem por isso! Devem lembrar que se tornam cúmplices de exploração dos incautos, que na sua maioria seriam ou deveriam ser ovelhas  sob  o cuidado e diligência de seus pastores, não presas fáceis de espertalhões.

Como escreveu Paulo: “O amor ao dinheiro é  a raiz de todos os males”. Embora este princípio tenha sido apresentado ao povo, as próprias religiões se tornam presas. A igreja, ou a intituição que sente necessidade de arrecadar mais dinheiro do que o usual, mesmo que tenha que dividir uma boa parte, devem assim concluir: porque não trazer alguém, a exemplo de Feliciano, que tem o “dom de arrecadar” – das ovelhas vítimas?

Apesar de defendê-lo para resitir a pressão, penso também, que Feliciano não seria a pessoa mais indicada para essa função, porque tem outras com currículo e postura mais adequados. Apesar disso, no momento acho que ele não deve render-se à pressão, porque os que pressionam não são sérios e também não representam a legitimidade da política democrática. Onde está o estado de direito democrático? Onde está o direito de livre expressão? Em que base legal, pode Feliciano ser acusado de racista e homofóbico?  Por ter no passado, tentar dar uma interpretação a determinado texto da bíblia, dizendo que a população da África, como base na maldição de Noé a um de seus netos, estivesse debaixo de maldição? Ridículo! Se for analisar tudo o que se disse, escreveu, nas pregaçoes, discursos, poesias, enfim na literatura em  geral, haja tribunal para julgar os famigerados racistas, homofóbicos, preconceituosos, etc. É claro, que a sociedade em transformação cria novas leis para permitir boas convivência entre os povos, mas isso deve ser feito com inteligência, sem preconceito para que não seja transformado em um grande circo, ou tribunal patético.

Felciano, após vencer a pressão, se dejejar seguir a carreira política e/ou religiosa deve fazer uma reflexão melhor de suas convicções e postura e tentar melhorar sua maneira de ver o mundo e se tornar um representante das aspirações do povo, como politico, e como líder religioso pensar mais nas ovelhas e menos no bem-estar do pastor, no qual encontra “pasto verdejante” na teologia da prosperidade, que contempla mais os protagonistas do que os seu pupilos.

Convenhamos! Essa coisa de ir para o congresso, considerando os grandes problemas da sociedade brasileira, como – Saúde, educação, segurança, corrupção exponencial e falta de infraestrutura, para simplesmente focar, polarizar, como lema principal, questões da homossexualidade, e/ou homossexualismo acaba sendo bizarro e ao mesmo tempo irônico. Homossexuais existem em toda a parte e em todos os meios e em todos os tempos, até  entre os mais puritanos, mas homossexualismo, não. Temos que diferenciar homossexualidade de homossexualismo, que à luz dos processos sociais e filosóficos da pós-modernidade é visto mais como um movimento libertino – à luz da reflexão cristã -, que tenta promover uma nova onda, um novo conceito de vida e de sociedade. O grande problema é que, com essa onda toda, o homossexualismo como filosofia acaba ganhando força e impondo e divulgando como modismo e estilo de vida, tirando o foco dos grandes temas nacionais que são prioritários.

Lamento o fato de  a política brasileira resitir refletir minimamente sobre essas questões, preferindo se manter de forma retrógada como campeã  mundial em fazer esse tipo de baixaria, que é a de, criar estranhos episódios para desviar a atenção da nação sobre os fatos relevantes, para poder trabalhar na surdina em favor de elementos reprováveis, tanto política quanto socialmente, em detrimento ao avanço social e democrático, porque robustece uma classe privilegiada e destrói os fundamentos da política autêntica, da justiça social e dos sonhos da nação

F. Meirinho

Compare lendo o artigo no Link abaixo:

http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/o-pt-e-dilma-abrem-mao-da-comunidade-evangelica-nas-proximas-eleicoes/#.UWQN7ow-x5U.facebook

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s