EU ESTAVA ENGANADO

Imamanifesto1Olhava para a situação lamentável das políticas públicas do Brasil. Hospitais se deteriorando, corrupção em todas as camadas políticas, a saúde pública morrendo, a educação em má condições: Estrutura, professores mal remunerados, cursos universitários visando apenas o financeiro, etc, e diante de tudo isso, parecia que a sociedade estava paralisada, apática.

Estava enganado!

Os nossos jovens, me dava a impressão, que tinham optado pela indiferença total, do ponto de vista de sua participação política, e optado pelo hedonismo: trabalhar para gastar no prazer. Parecia que uma parte tinha se definido, apenas ao amor ao futebol, novelas, baladas, álcool, drogas, músicas sertanejas/universitárias, forró, funk, etc.

Do outro lado, os puritanos, os católicos, os evangélicos, religiosos de todos os naipes, uns achando que esse era o grande carma, e outros pensando que as coisas estão assim porque Deus, ou os deuses estavam permitindo, achando que a solução de tudo estava na divindade, na liturgia, nas rezas, nas orações e que o Deus dos céus resolveria todas as mazelas políticas e sociais, a seu tempo.

Estava enganado.

Na mídia social, pouco se via de mensagens intervenientes de cunho político-social. Então, lamentava e pensava: Se os adultos estão desistindo da luta democrática, e os nossos jovens optam pela indiferença, nosso futuro é sombrio. Porque a democracia que é exposta, não representa a vontade do povo. Democracia em que o “demo” é governado/manobrado pela “cracia” de uma classe dominante, é ditadura cruel.

Estava enganado.

Hoje pensei: de onde surgiram toda estas manifestações? Dos 20 centavos, não. Jamais pensei que 20 centavos simbolizasse tanto! Por trás de uma pequeno valor, estava um grande símbolo, de onde partiram a exposição das várias causas. Será que os 20 centavos representavam um fragmento do conteúdo reprimido? Era necessário, pela timidez contida, que a grandeza da manifestação começasse por um pequeno valor, mas mostrando que toda ruína política brasileira está relacionado ao dinheiro?

Continuei pensando: Estamos vivendo na profetizada aldeia global, e os jovens são mais suscetíveis às transformações. Mas, os jovens em outras partes, estão sem perspectivas de futuro, considerando as ondas funestas da economia global.

Continuei pensando: É a nova onda do mal-estar da civilização, que deixa de ser coisa do velho continente para envolver todo o planeta, porque apesar das misérias no mundo, há um percentual privilegiado que, não importa como: Trapaceando, corrompendo, enganando, usando qualquer instrumento – falsas promessas, mentindo em nome de qualquer coisa – direitos humanos, religiões, e várias formas de Ongs – tudo com o mesmo fim – forjar, enganar, buscar enriquecimento, à custa dos mais fracos.

Estava enganado.

De repente aparece uma multidão de pessoas  indignadas, que abandonam a passividade e resolvem dizer – Acordamos! Estamos vivos! Estamos aqui! Queremos justiça! Estamos contra as mazelas e o menosprezo que se está dando aos menos favorecidos, a tudo o que é essencial à vida.

E os vândalos! Qual é o recado que deixam? Depredação, roubos? Eles, apesar de deixarem o que repugnamos, dizem inconscientes: Somos o resto, somos os esquecidos, os marginais que o sistema sócioeducacional não está atingindo. De qualquer forma, todos se expressaram – uns conscientemente defendo causas, e outros apenas mostrando o que são. Ainda bem que foi a minoria, porque a maioria exercia com inteligência a sua cidadania dentro dos direitos legítimos.

A maioria é jovem.

Eu estava enganado.

F. Meirinho

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s