JESUS CRISTO IMUTÁVEL SENHOR

imajesus“Jesus Cristo é o mesmo, ontem, hoje e sempre” (Hebreus 13. 8).

 Não  existe algo mais sublime e glorioso que a pessoa de Jesus Cristo. Milhares de comentários surgem a respeito dele, abordando assuntos, às vezes, controvertidos e outros de forma inusitada procuram despeitá-lo para que o seu maravilhoso nome seja ultrajado e difamado, entretanto, apesar de todo este esforço pueril, seu nome é exaltado sobre todos os nomes.

O centro da Bíblia é Cristo. A beleza e a força do cristianismo consiste em sua atuação divina. Se tirarmos o Cristo da Bíblia, ela será um livro como outro qualquer. Se tirarmos o Cristo do cristianismo, ele será uma simples religião. Jesus Cristo, em seu fulgor e glória, no seu poder imensurável, no seu amor divino é superior a todos os grandes santos da história, aos anjos, arcanjos e querubins. Ele é superior às galáxias, superior as grandes maravilhas do mundo. Mais belo que todo espetáculo da natureza exibida em sua maior pompa. Para mim, é o grande oásis do meu deserto. Como um beduíno, muitas vezes cansado da jornada no deserto, Ele  supre nossa sede, nesses ricos mananciais, vindo ao nosso encontro para irrigar às nossas esperanças. Portanto, além de nos suprir é o mais puro oxigênio da alma humana, Senhor e Rei.

Após a ressurreição, Cristo aparece e se identifica aos seus discípulos. Na ocasião, Tomé não estava presente, ao que lamentou, depois que foi informado. Após oito dias, Ele aparece novamente aos seus discípulos e desta vez estava também Tomé. Saudando, disse-lhes: Paz seja convosco! Procurou por Tomé e disse-lhe: “Põe o teu dedo aqui e vê as minhas mãos. Coloque também a tua mão no meu lado e não sejas incrédulo, mas, crente”. Tomé fez conforme solicitado. Comprovou a veracidade e concluiu que realmente era Jesus e, maravilhado exclamou: “Senhor e Deus meu! Apesar de sua pertinaz incredulidade reconhece a Cristo e o confessa como Salvador e Senhor.

A felicidade do homem moderno e sua subseqüente  realização espiritual, não consiste na admiração que possa ter do cristianismo ou de Deus, e sim,  do reconhecimento  do senhorio de Cristo sobre sua vida. O grande mal do homem é querer ser senhor de tudo e de todos e por esse motivo, continua sendo servo. Cristo só pode orientar nossas vidas, a partir do momento em que, a exemplo de Tomé, termos uma atitude humilde e reflexiva e dissermos: Meu Senhor, meu Deus!

Cristo continua sendo o mesmo. Ele é a manifestação de Deus à humanidade. É a grande revelação da bondade salvadora de Deus. Seu ministério foi acompanhado de sinais e grandes maravilhas. Diante da sua presença, todos, um dia se dobrarão.

Nos dias de seu ministério terreno: Os cegos viam, os enfermos eram curados, os paralíticos, sob sua palavra, andavam, os endemoninhados eram libertos, e os mortos ressuscitavam.

Em sua principal missão dizia: “Para que saibais que o filho do homem tem poder para perdoar pecados, disse a um paralítico: Levanta, toma a tua cama e vai para a tua casa”. Imediatamente o paralítico recuperou-se fisicamente, revelando assim, o poder de Cristo em também recuperar espiritualmente o homem perdido, perdoando os seus pecados.

Escritores céticos, teólogos sem Deus, vem procurando manchar a divindade de Cristo com os seus fúteis argumentos, mas,  nada tem conseguido, porque Jesus Cristo é Deus e como tal está acima das críticas seculares. Ele é o Senhor imutável.

Uma das provas de sua divindade é que ele continua sendo o mesmo. Ele ainda cura, salva e transforma a mais vil criatura. Dezenas de jovens, hoje, após tentar realização pessoal em outros caminhos; decepcionados, resolvem procurar Cristo e encontram a solução para os seus problemas espirituais.

Ele é o mesmo! Ele é Deus! Napoleão Bonaparte, a seu respeito, disse: “Penso que compreendo um pouco da natureza humana e digo que, todos os heróis da antiguidade foram homens, como eu também o sou, mas não como Jesus Cristo. Este era mais que homem”.

Deus só se torna real em nossas vidas quando conhecemos a Cristo. Ele é a revelação de Deus para o homem. Sem esse mediador, desaparece toda a comunhão com Deus. Ele é aquele que deseja nos dar vida eterna , aqui e agora! Como receber ou ter a vida eterna? Está escrito no Evangelho de João: “E a vida eterna é esta, que te conheçam a ti só, como único Deus verdadeiro e, a Jesus Cristo a quem tu enviaste. Ele está vivo! Ressuscitou de entre os mortos e deseja entrar em sua vida para poder conceder-lhe salvação, realização, libertação.

Um dos grandes problemas que a sociedade vem enfrentando hoje, não é a pobreza material, mas a pobreza espiritual. Com esta afirmação, não temos a intenção de negar a existência da pobreza no mundo, mas apontarmos que, a pobreza espiritual causa o grande vazio na alma, que por sua vez produz a busca por algo que venha preencher a lacuna deixada. Lamentamos o fato de muitos buscarem em fontes erradas, como nos entorpecentes, causadores dos desequilíbrios  que alimentam toda sorte de crimes e as religiões interesseiras, divorciadas de Deus, que oferecem uma pseudo espiritualidade sem conteúdo divino.

Aderir aos ensinamentos de Cristo, recebê-lo como Salvador e Senhor de nossas vidas, se constitui em um dos grandes passos rumo a paz e a felicidade. Com Cristo, nossa visão de mundo será profundamente maximizada. Nossa auto-crítica, percepção das coisas que nos envolvem, nossa relação com os semelhantes e com as leis que a sociedade estabelece terão muito mais significados. Todos, em Cristo, formarão uma sociedade mais justa e coesa.

Tendo Cristo como senhor e orientador principal, nossas vidas terão mais sentido. Encontraremos em seus ensinos um padrão de norteamento que possa reger os nosso destino. Será possível ver com maior nitidez a razão da existência da vida, da família, da sociedade. Certamente nos tornaremos pessoas realizadas, tendo os seus ensinamentos, como instrumento do bem, e assim cumpriremos com os seus sonhos: “vós sois a luz do mundo”.

É impossível ser luz sem estar conectado a uma fonte de energia. O mundo jaz na escuridão. Os modelos, os ídolos famigerados pela mídia moderna são incapazes de se tornar exemplos ou de fornecer a energia necessária para que possamos transformar em luz. Cristo é fonte de luz: “A vida estava nele, e a vida era a luz dos homens. A luz resplandece nas trevas, e as trevas não prevaleceram contra ela (João 1. 4, 5).

Portanto, se o mundo jaz em trevas e Cristo é a luz do mundo, para que tatear no escuro, vagando sem rumo, sem direção? Seguir a Cristo é a resposta mais precisa, para quem deseja mudar das trevas para a luz. Ele afirmou: “Eu sou a luz do mundo, quem me segue, não andará em trevas, mas terá a luz da vida”.

Porventura, a insegurança do mundo moderno, não consiste em viver distante da luz? Não é a  luz, que representa lucidez, bom censo, respeito ao próximo, à vida! O que está faltando à nossa sociedade? – Luz. Venha para luz! Seja uma luz! Se a sua cidade ou comunidade, contar com você, como mais uma luz, certamente será muito mais “iluminada”.

Bene docet, qui bene distinguit – Ensina bem, quem bem distingue

Francisco Meirinho

www.prmeirinho.zip.net

https://fmeirinho.wordpress.com

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s