COISAS DA FÉ

Quero refletir com você, na forma sucinta sobre três pontos interessantes, que fazem parte intrínseca do ser humano. Refletir sobre os mesmos, penso eu, é de importância vital para a vida. Começo sobre:
IMG_0025A COISA E A CRENÇA

Quando cremos em uma coisa e fazemos outra, o erro não está na coisa, mas na crença. A tendência humana é unir a crença à coisa na forma mental, mas não na substancial. Mas, a coisa em si é substância que sobrevive além da crença. É inteligente produzir um elo entre a crença e a coisa, que nos leve para um mundo real e de maturidade com o mundo físico e metafísico, que resulte em harmonia dos seres vivos. Agora, se a coisa em si, resulta em desarmonia e se torna esquisita, não oferencendo relevante significado à vida, então devo ter coragem para abandonar, tanto a crença, quanto a coisa.

EM RELAÇÃO A DEUS E A FÉ CRISTÃ,
Você pode ser: Crente, crédulo, incrédulo, ateu, cético, deísta, teísta, agnóstico, gnóstico, etc. Tudo isso são reflexos do espírito, elementos da fé. Até mesmo o ateu, que é definido como que, ou quem não crê na existência de Deus, não deixa de provar a sua existência, porque professando sua crença negativa, mostra que a substância da qual tenta negar – existe; mesmo no campo da negação, ou na fé reativa, porque senão não era preciso se defender ou declarar subjetivamente a não existência.
Já ouvi pessoas em terapias, que por manter ódio a alguém que antes amava, afirmar: “para mim ela morreu”, quando na verdade estava mais viva do que antes, mas introjetada na mente do ofendido, como um corpo hostil. Quando alguém afirma: Ela morreu – expressa um pesar pela perda de um elemento essencial, de expressão de amor com a qual havia integração e até simbiose.
Canalizar bem a nossa fé para que sejamos mais úteis a nós mesmos, aos outros e ao universo é de fundamental importância para o nosso ser holístico, composto de -corpo, alma e espírito.
Como corpo precisamos de alimentos físicos, como alma de instrução pedagógica e psíquica, mas como espírito – precisamos de Deus.
GRAÇA E MANDAMENTO
Pela graça somos salvos e libertos. Sendo livres entramos em sintonia com os mandamentos de Deus, e pela graça os incorporamos em nós como se fossem nossos. Assim, de forma espontânea passamos, em leveza de espírito, fazer vontade de Deus. Focar na graça fora do contexto do evangelho é querer o aprove de Deus para a nossa maneira egoísta, tanto de pensar como de viver. Mandamento sem graça é legalismo formal, graça sem mandamento é liberdade utópica. Pela graça somos salvos da perdição, que nos proporciona a garantia da entrada no reino de Deus, para podermos amar o Rei, e com base neste amor fazer tudo que lhe agrada, porque passamos a compreender que o Reino também é nosso. “Vem a nós o vosso reino!”.

Francisco Meirinho

O QUE NOS UNE DEVE SER MAIS FORTE

ImauniãoSomos um país multicultural e multiétnico, sendo a maioria de origem cristã que deveria ter como legado a capacidade de compreender melhor os diferentes, mas lamentavelmente não somamos os valores, ou não convergimos para o ponto de equilíbrio, respeito, tolerância e solidariedade. Parece que somos dependentes de estranhas emoções, excesso de individualidade e um pouco cegos para as nossas realidades. Talvez por isso, estamos produzindo uma nova espécie de seres desalmados, que roubam, que desviam verbas, corrompem, que são corrompíveis, que são capazes de odiar,matar, destruir, por motivos – ideológicos, torpes e financeiros.

Brigamos por nada, criamos situações ridículas. E isso, não vem só dos menos favorecidos, dos que estão nas margens, como os analfabetos, dos miseráveis que são frutos de toda esta idiotice, mas envolve até a mais alta camada social – os deputados federais, como exemplo, cito: Jean Willian e seus pupilos versos Marcos Feliciano. Coisa estranha! Estamos assistindo uma verdadeira guerra sem razões aparentes, que afrontam os princípios da inteligência, da convivência social e do direito democrático.

Uma parte da imprensa parece ter sido mentalmente capturada por essa onda discriminatória. Quando se trata de outros deputados, de profissões variadas: médicos, contadores, engenheiros, professores e outros, não há menção à profissão do político, mas quando a imprensa fala de Marcos Feliciano, tem que ser dito – pastor, como se quisessem dizer a alguns evangélicos. Olha aí o pastor de vocês!… Pura ignorância, ou alienação midiática! O termo homofobia e racismo  foi elevado um patamar que distorce o seu sentido semântico, transformando qualquer  simples opinião em comportamento ignóbil.

Enquanto isso, a corrupção prolifera, e ninguém vê nada. O crime dispara. Temos mais de 500 mil presos no país. Mais de 170 mil com mandado de prisão, mas, o sistema carcerário só permite no máximo 350 mil presos. Para que mandado de prisão, se não tem lugar nas penitenciárias. Elas estão abarrotadas.

Há vários discursos para aumentar a punição   para o menor infrator, ou para os que praticam crimes considerados hediondos, e manter os criminosos presos, mas onde, se o sistema carcerário está falido! Somos um grande povo, como ovelhas desgarradas, sem comando. Nos tornamos especialistas em criar leis absurdas, porque não há ambiente para viabilizá-las. Pensa-se já em novos líderes políticos, que possam ser presidentes da república, mas onde estão?

Se em parte somos produtos do meio, que meio construímos, que nos é impossível encontrar políticos confiáveis?  Estamos há anos esperando pela sonhada reforma política, mas não há interesse em reformá-la. Votamos, normalmente em quem mais mídia tem, e são exatamente esses que não irão nos representar, porque suas candidaturas são financiadas pelas 200 maiores empresas do pais. Haverá  mudanças significativas?

Nos bastidores da política da situação percebo uma intensa atividade para ressuscitar a velha ideologia, ultrapassada pelo tempo e pela inadequação. Por incrível que pareça, ainda há os que veneram  os velhos dinossauros da ideologia marxista, porém distorcida.

Estamos perdendo mais uma geração, e perdendo também a grande oportunidade de nos tornarmos uma grande nação. Estamos morrendo nos nossos egoísmos, nas nossas indiferenças, e nas nossas incoerências.

A mente cristã evangélica, no ardor de sua fé, sem refletir sobre a instrução a relação que existe entre fé e realidade, se torna um tanto questionável, porque tende a empurrar tudo para Deus, esquecendo-se de sua responsabilidade social e política. Está pronta a dizer, o Brasil está assim, “porque Deus quer ou permite”, e os mais espirituais ainda justificam essa frágil e desprezível atitude, citando a Bíblia, em texto sem contexto. Esquecem que cristianismo é  feito de – Fé, renúncia, amor, responsabilidade pessoal e social.

Nós cristãos que poderíamos estar mais unidos, pela fé e o amor de Deus e ao próximo, pela racionalidade, pela lógica, pelo absoluto – que é simples e comum a todos: Deus Criador, Jesus Cristo Salvador, Bíblia, como livro de instrução, virtudes, resolvemos nos digladiar e  odiar pelo ínfimo, pelo relativismo.

O que nos leva a nos unir é mais  excelente do que o que nos divide. Pelo relativismo, até as próprias denominações cristãs estão divididas entre si, cito como exemplo: Assembléia de Deus; Batista, Presbiteriana, Católica, etc. Católica também: Claro! São várias católicas, mesmo assim se dividem, pelo relativo – teologia da libertação, carismáticos, várias ordens ministeriais, etc. Entre os evangélicos se dividem pelo carisma, e pela várias modalidades, tanto teológica, ministerial, quanto do ponto de vista doutrinário, litúrgico, sacramental e cultural.

Enquanto isso, criamos um vazio que permite ideologias profundamente desagregadoras e ameaçadora, não só aos princípios do cristianismo mas a toda a humanidade. Essas ideologias funestas que conspiram contra o Deus criador e  os princípios morais e éticos que fazem parte intrínseca da humanidade se movem nos meandros da vida social e política, permeando de forma audaciosa, ardilosa e maléfica com objetivo único de causar uma grande instabilidade familiar, política e social que resulte em um ambiente propício para criar um ambiente favorável para tomar de súbito o controle das mentes incautas.

Lamento que muitos cristãos, e outros não cristãos, mas que acreditam no Deus que a Bíblia revela, não tenham a perspicácia de perceber o que se passa na mente de grupos e movimentos libertinos que pregam uma pseudo liberdade, mas o que querem mesmo é escravizar e tomar por presa às consciências menos avisadas.

O que nos une deve ser mais forte e defendido, do que aquilo que nos divide. Se estivermos unidos pelo absoluto, saberemos defender o que nos pertence por direito, e o mundo verá e reconhecerá que o que temos para oferecer procede do Pai, com base no que é melhor para toda a humanidade em todos os sentidos da vida.

F. Meirinho

https://fmeirinho.wordpress.com

* Se você concorda que o que nos une deve ser mais forte, compartilhe entre os seus amigos.

UM PENSAMENTO A MAIS NO SEU PENSAR

O bem e mal faz parte do universo,
O bom e o mau faz parte de todos nós,
A luz e as trevas estão presentes,
Mas, as trevas existem de fato, ou são apenas a falta de luz?

Se há luz tudo começa ficar claro ao meu redor,
O que chamo de mal, nem sempre o é.
Seria o sofrimento um mal?

A felicidade um bem!
O que é felicidade?
É comemoração?
Um criminoso recentemente foi flagrado,
Comemorando, exibindo felicidade, porque se “saiu bem”comentendo um crime.E a morte! é um grande mal, ou o fim do mal?
É o início do pleno bem?
Quem bem vive aqui, mesmo estando mau,
Para o céu não deseja tão cedo chegar!
É normal!?
Já me perguntaram se tenho medo da morte,
Prefiro dizer que já tive medo da vida,
Embora adoro viver, porque você vive,
Pois a vida sem o outro é existência pueril,
Por isso julgar, não, mas me indignar sim.
questionar, muito mais!

Não seria bom, que todos os animais vivessem
Sem serem predadores?
Daria certo?
A inteligência tem limite?
Mas o que para mim é dor, pode ser delícia para outros.
E se o equilíbrio é melhor do que a dor,
Serei muito egoísta se rejeitar o meu sofrer…
Como fica o dono da funerária, quando pessoas
Deixam de morrer na cidade?
Em maus lençóis!

Jó sofreu por um desafio que não era dele,
Eram das duas forças antagônicas o desafio.
Apesar de tudo preferiu sempre ser íntegro.
Sua mulher que parece prática demais, diz:
Amaldiçoa a Deus e morre. (Jó 2. 9-10)
Ele em réplica diz – falas como uma louca,
Temos o bem de Deus e não receberíamos o mal?
Silêncio – parece que ela não respondeu.
O mal também pode vir de Deus?

O que é o mal?

Em algum momento pode ser o meu melhor bem.
Eu não sou uma pessoa de muita certeza,
Mas, procuro manter a minha confiança.
Eu não tenho muitas respostas,
Mas me realizo com as minhas perguntas.
Não sei se elas agum dia serão respondidas,
Mas, se eu continuar perguntando,
É sinal que continuarei pensando,
– Se penso, logo existo!..
Isso será pura felicidade, aqui, agora e depois…
Eu estou feliz, se sou, isso é outra questão!…

(F. Meirinho)

DEMOCRACIA – CONHECIMENTO E VIVÊNCIA

* A capacidade de justiça dos homens torna a democracia possível; mas a sua inclinação para a injustiça faz da democracia uma necessidade. (Reinhold Nicbuhr)

* Quando você quiser conhecer um indivíduo, ouça bem as sua palavras e observem as suas ações, porque tem muita coisa que fará parte da sua vida para sempre. (F. Meirinho)

* Viver é adaptar-se. (Euclides da Cunha)