ANO NOVO – continuidade ou novo começo

imanonovoQuando o dezembro desponta começa a contagem regressiva para o início de um novo ano, que para muitos é a oportunidade de um novo tempo, um novo começo, ou tempo de mais ousadia e determinação no projeto que está dando certo.

É claro que, alguns mergulharam no ostracismo, preferindo apenas continuar vivendo, dando sequência à normalidade, deixando-se levar pelas correntezas da existência mesquinha que adotaram, como sendo o “seu destino”, e que outros pensam – seu “carma”. Mas, se perguntarmos ao criador, Ele não vai concordar com isso, pois deixa claro, na mensagem de seus profetas, de que nos chamou para altos propósitos. Neste sentido, cai bem uma frase de Neimar de Barros: “Não importa quantos passos você deu para trás, o importante é quanto, agora você vai andar para frente”.

Prossiga para o recomeço e não se dobre aos fracassos e desânimos do ano vigente, nem para as mensagens derrotistas. Todos acreditamos que, por pior que você esteja, seu campo de ação, de criatividade, de entusiasmo, esperança e fé, não se extinguiram; você pode se projetar além do fracasso, da duvida, da lamúria.

Para  alcançar seu alvo, seus sonhos realizados,  você contará com mensagens inspiradas, de ousadia, que hão de alimentar  sua fé. Pois Deus, além de nos amar, nos dá ferramentas para aumentarmos nossa capacidade de reinventar,  dinamizar nossa força de vontade, pelo acréscimo da fé.

Leia o que Paulo escreveu: “Não que eu tenha já recebido, ou tenha já obtido a perfeição; mas prossigo para conquistar aquilo para o que também fui conquistado por Cristo Jesus. (….) quanto a mim, não considero ter alcançado; mas, uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão, prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus” (Fp 3. 12-14).

Colocando as dicas de Paulo, do prosseguir para alvo, para  a dinâmica do recomeço: Reconhecer a imperfeição; não parar de prosseguir – ir avante; considerar não ter alcançado o ideal, o sonho – mas ressalta: “Esquecendo-me  das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim – prossigo…”.

O comando é de Deus, mas o prosseguir é seu, que resulta de um  ato de vontade que pode fazer diferença. Em parte, nós construímos o nosso destino. Por isso, atentar para a responsabilidade que temos conosco próprio é de fundamental importância. Quando assumimos bem a nossa responsabilidade, tiramos um peso dos ombros dos outros, isso também é, compartilhar com todos. Como diz um Adágio popular chinês: “Se todos varrerem a calçada em frente das suas casas, toda a rua ficará limpa”.

Para um novo começo é necessário abandonar certos paradigmas, não repetir os mesmos erros do passado, ter algo à frente, visualizar, imaginar, acreditar. Paulo disse – “avançando em direção de algo que está diante de mim”.  O que você tem diante de você?  Se não ver nada, ou pouco, então exercite a sua fé, através da Palavra de Vida. Ter algo em frente deve ser prioridade. Quando não temos nada à frente, é porque deixamos de sonhar. Uma dose de utopia, não faz mal a ninguém. Quando ela se esvaece leva consigo nossa vontade de viver e de vencer.

Embora vivamos em  um mundo maravilhoso, contudo devemos, reconhecer sua complexidade em todos os aspectos. A fé no Deus criador alimenta a nossa esperança e alavanca a nossa existência para alvos que  focamos. Começamos a entender que não estamos sós neste mundo, e por isso procuramos descobrir nossas missões específica, além daquilo que deve ser habitual em cada ser – O amor a tudo que envolve a natureza, respeito à vida, luta incansável pela liberdade e dignidade humana. Quando pensamos que o mundo não vai bem, sempre devemos refletir, começado pelo self, pelo autoconhecimento pessoal, pelo Eu. O que EU posso fazer para melhorar: interiormente,  minhas relações pessoais, familiares,  é um bom começo, para quem deseja melhorar o mundo.

Desejo a você o mundo pessoal bem melhor –  sem preconceito, sem raivinha ignóbil, sem mania de ideologia salvadora,  sem arrogância e orgulho, próprio de quem acha que é alguma coisa, entre os mortais.  Aqueles que dizem – Você sabe com quem está falando? A resposta seria – Sei! Um verme idiota, que ainda não descobriu a razão da vida! Sem se deixar contaminar pelo mesmo vírus, é interessante ser, para cada ser humano, não somente um  instrumento de paz, mas também de conscientização. Com isto, na minha parca visão de mundo, acredito que poderemos  ter  um 2014 melhor. Um mundo mais igualitário. Como pessoa – ser  mais acessível e menos cruel;  mais saudável menos insana; mais coerentes, menos fanática; mais interdependentes,  menos dependente; mais humana e menos divina.

Cada vez que  o homem se diviniza, pelas falácias aparentes de piedade messiânica, a humanidade é humilhada pelo efeito nefasto do autoritarismo arbitrário. Não se deixe enganar! Assim, poderemos contribuir para um mundo melhor, assumido a nossa condição humana, sem deixar de sonhar, e trabalhar para ver um mundo melhor, e um futuro ditoso.

Um feliz 2014 para você e sua família!

F. Meirinho

Continuo aqui em 2014. É o que penso no presente:

ASPERSÃO REFLEXIVA

  • F. MEIRINHO

https://fmeirinho.wordpress.com/

https://www.facebook.com/fmeirinho

http://www.prmeirinho.zip.net/

https://twitter.com/FMEIRINHO

COMUNIDADE CRISTÃ ALTERNATIVA

http://ccalternativa.wordpress.com/

https://www.facebook.com/ccalternativa

https://twitter.com/ccalternativa

PSICANÁLISE CLÍNICA

http://psicanalisedafamilia.blogspot.com.br/

Anúncios

ISSO…NÃO LHE COMOVE?

ISSO… NÃO LHE COMOVE?

São Paulo vive uma verdadeira guerra.

Policiais e civis brutamente assassinados.

Parece tudo ser normal ou simples casualidade.

Eles estão morrendo!..

Com eles morrem a esperança de milhares,

A proteção de crianças e adolescentes…

Eles estão ficando órfãos.

Parece que há uma força conspiradora contra o bem,

contra o bom senso, contra a justiça, contra a vida.

E ninguém sem importa, ninguém vê!

Exagero meu!

Policiais são colocados nas vielas de São Paulo,

Como cobaias do sistema retrógrado.

De pistolas em punhos, enfrentando bandidos com fuzis

Ouvi agora cedo um policial que não pode se identificar,

desabafando: “Nossas armas de menor poder, ainda falham, não podemos usar colete o tempo todo, porque os mesmos precisam ser revezados.

Uma parte com colete reveza com outros, porque não há proteção para todos. Estamos com medo!”

Medo! é tudo que um inimigo deseja do seu adversário.

Medo! é a síndrome da falta de segurança e confiança.

E a conjugação do medo é a síndrome da derrota:

Eu tenho medo, tu tens medo, ele tem medo e nós…

Que pais é esse? canta a “Legião Urbana” , mas o povo cala,

enquanto ressoa em nossos ouvidos a voz do poeta rebelde – A burguesia fede…

Os expectadores crescem, porque o estado está morrendo.

Ainda temos em nossos arquétipos aquela estranha sensação,

de veneração, aos mortos.

Ficamos pasmados! Sublimação mórbida!

Estamos brincando  com o sério,

Queremos manter o nosso orgulho travestido de tolerância,

modernidade, avançados, escondendo a justiça enquanto triunfa a ignorância.

Criamos leis que favorece os idosos, adolescentes e estirpes privilegiadas, mas só executamo-las quando os ventos estão a favor.

Seria melhor dizer, não estamos prendendo o deliquente, porque nosso sistema carcerário está falido,

Fazemos vistas grossas às fugas…

Não conseguimos mantê-los fora da comunicação criminal, mesmo quando estão presos.

Não estamos dando atenção à saúde porque somos incompetentes.

Não temos bom sistema de educação porque não sabemos o que fazer.

Não podemos eliminar, ou pelo menos administrar a corrupção, porque fazemos parte da máfia.

Mas! Queremos mudar, queremos nos arrepender, queremos pedir perdão à nação.

Esta confissão, será um reconhecimento que fará o Brasil reconhecer a necessidade de reformar, mudar, fazer…

E aqueles discursos medíocres que ouvimos com frequencia, serão banidos,

em troca de ações reais que  sejam coerentes e pertinentes.

Tudo isso que vem acontecendo no nosso Brasil, que muitas vezes é camuflado pela histeria do carnaval, do futebol e das baladas,  não lhe deixa indignado?

Não lhe deixa enganado?

Não lhe diz respeito?

Não lhe comove?

Se nada lhe toca, nada mudará, e sua mente será cauterizada, com paradigmas assim: Nada está tão ruim que não possa piorar! Mas, pense: Nem tão bom, que não possa melhorar.

Sou eu apenas um profeta indignado!

(F. Meirinho)

https://fmeirinho.wordpress.com