COMO VAI A ALMA!

imaadorarO corpo passa, a alma fica. A vida física tem ponto final, a alma, não. Não somos só corpo, nem tampouco, só alma, somos também espírito. Prefiro ver o homem, no todo, na forma holística, não na forma mona, dicotômica ou tricotômica, mas os – três em um, a exemplo de um violino, que apesar de ser uno, para produzir bom som, é preciso ter o corpo/caixa, cordas, arcos, que em harmonia produzem maravilhosos sons, característicos de um violino.
A soma do todo, pode ser representado pelo termo alma.
Você meu amigo é uma alma preciosa!
Gosto do poema de Huberto Rhoden, o grande filósofo catarinense, que sobre a alma, escreveu:
” TUA ALMA é uma luz…
Não a extingas!
TUA ALMA é uma harpa…
Não a destemperes!
TUA ALMA é um espelho…
Não o embacies!
TUA ALMA é uma flor…
Não a deixes murchar!
TUA ALMA é uma fonte…
Não lhe turves as águas!
TUA ALMA é um santuário…
Não o profanes!
TUA ALMA é um poema…
Não lhe roubes a poesia!
TUA ALMA é uma virgem…
Respeita-lhe a pureza!
TUA ALMA é livre…
Não a escravizes!
TUA ALMA é um sopro de Deus…
Defende-lhe a vida eterna!”
Guarde este tesouro – sua alma, que é você mesmo, seu grande – EU.
No Torá hebraico, onde encontramos muitas leis civis, morais e espirituais, há uma relevante recomendação – GUARDE BEM A TUA ALMA.
” Tão somente, guarde a ti mesmo, e guarde bem a tua alma, e não te esqueças daquelas coisas que os teus olhos têm visto, e não se apartem do teu coração todos os dias da tua vida; e os farás saber a teus filhos, e aos filhos de teus filhos”.
Tenha um fim de semana abençoado, de proteção e graça”. (Dt 4. 9)
(Francisco Meirinho)

Anúncios

ABRA A JANELA E RECOMECE


 

ABRA A JANELA E RECOMECE

 Janela – uma parede flexível, movível para fechar e abrir uma abertura feita na parede, para ser aberta para a luz do sol raiar, a brisa de qualquer ponto cardeal entrar. Mas, Imajanelaabertatambém para ser fechada no tempo certo, para impedir que tudo aquilo que traga desconforto do exterior não penetre na nossa casa – os animais nocivos, o homem mau, o vento impetuoso, a chuva que insiste, às vezes, em penetrar o espaço que não lhe pertence. Quase todas as casas têm  aberturas, que devem ser fechadas, e abertas ao sabor de seus proprietários.

Nossa alma tem janelas? Mais do que isso! A exemplo das casas – janelas e portas. Todas são indispensáveis, desde que fechadas para o mau do mal, e abertas para o bom do bem.

Trate a sua alma como uma casa, com portas e janelas. Elas abertas para o que é relevante, significativo, contribuirão para o seu crescimento e bem-estar, para propiciar saúde física, mental e espiritual.

Assim como é preciso ter visão do mundo social e físico, tanto do externo, quanto do interno, para nos levar a agir quanto o abrir e fechar janelas e portas da nossa casa – em relação à alma, não é diferente, é preciso ter visão aguçada.

Quando perdemos a noção cognitiva, percepção dos males e benefícios, interatividade social, responsabilidade pessoal, por razões conhecidas ou não – abrimos, fechamos as janelas e portas da nossa alma, sem um critério baseado na razoabilidade e visão de mundo. Aí, os prejuízos serão decorrentes, mas não irreparáveis.

Mas se isso acontecer, há algo que possa ser feito? Se for uma casa, feche com rapidez e procure logo reparar os danos causados – pela chuva, pelo vento, pelos insetos, etc. e depois recomece com uma nova disposição de vida, com base na filosofia do melhor viver, sem muito sofrer. Para isso é necessário querer. Querer, não é apenas poder, mas acima de tudo é – agir na direção certa. Fernando Pessoa, já dizia: “Querer não é poder. Quem pôde, quis antes de poder só depois de poder. Quem quer nunca há de poder, porque se perde em querer”.

Os males da nossa existência, as adversidades da nossa vida, o pecado, que eventualmente cometemos, não quer dizer que não possamos somar, em algum momento. Mas, somam positivamente, quando determinamos recomeçar objetivamente, com vista a uma vida mais eficaz, apesar das pedras no caminho. “Pedras no caminho? Guardo todas. Um dia vou construir um castelo”. (Nemo Nox)

Se não abrirmos as janelas da nossa alma, não veremos a luz e nada ao nosso redor. Facilmente construímos redomas em torno do Self – de nós mesmos, e criamos uma carapaça e, a exemplo dos cágados, nos escondemos, deixando de enfrentar os inimigos internos e externos.

Deus ama a coragem, e repudia a covardia, hipocrisia e disfarces. Quando abandonamos, ou deixamos o que nos impede, e partimos com ousadia para o recomeço, onde nossa percepção do que nos amarra é maximizada e decorrentemente começamos a avançar, progredir, agir – como está escrito: “…livremo-nos de tudo o que nos atrapalha e do pecado que nos envolve, e corramos com perseverança a corrida que nos é proposta, olhando para Jesus…” (Hb 12. 1, 2)

Abra a Janela e a porta da sua alma! Recomece, deixando o que atrapalha e correndo para algo mais substancial.

F. Meirinho

https://fmeirinho.wordpress.com/